Por que duvidamos tanto de nós mesmos?

A desculpa é velha, mas é verdadeira: a faculdade consome o meu tempo, só que eu tô aqui e hoje quero trazer uma reflexão que há um tempo eu venho tendo comigo mesma e também trocando umas ideias com Deus…

Essa reflexão começa lá no livro de Mateus, no capítulo 14, a partir do versículo 22 que é aquele episódio em que Jesus aparece para os Seus discípulos no meio do mar, e então todo mundo se altera, começam a gritar e começam a achar que é um fantasma, e Jesus está lá bem tranquilo “sou só eu: Jesus” (só eu, o Filho de Deus hahaha). E Pedro, que a gente sabe que fazia as coisas meio que pelo impulso, lá no versículo 28, fala “Jesus, se é Tu mesmo, me chama pra ir ai, eu quero andar sobre as águas”, e Jesus, como a gente sabe diz pra ele ir e ele foi: desceu do barco, começou a andar sobre as águas até o encontro de Jesus. Mas dai, no versículo 30 fala que Pedro começou a reparar no vento, nas ondas fortes e começou a afundar e, Jesus, naquela calma que era só Dele, estendeu a mão, levantou Pedro e disse: “homem de pequena fé, por quê você duvidou?”

Então, ai vem a minha reflexão: do que foi que Pedro teve dúvida? quais foram as dúvidas de Pedro que fizeram ele afundar naquela hora? será que ele tava duvidando de Jesus? será que ele tava duvidando de que Jesus era realmente Jesus? Mas não, Pedro não estava duvidando de Jesus, até porque se ele tivesse 1% de dúvida ele nem mesmo teria saído do barco. E a Bíblia fala que ele começou a olhar em volta, começou a olhar os problemas que estavam ali, começou a olhar o vento forte, as ondas revoltas, o mar valente e olhando para tudo aquilo Pedro duvidou. E não foi de Jesus, foi de si mesmo.

Mas aqui pensando comigo mesma, com os meus botões, que Pedro em algum momento se ligou, olhou para Jesus e pensou: “mano, esse cara é o Filho de Deus. Ele anda sobre as águas, mas quem sou eu pra andar sobre as águas?” Ele duvidou de si mesmo. Mas é interessante pensar que depois de Jesus, Pedro foi o único a andar sobre as águas e Jesus ainda o chamou de “homem de pequena fé”… olha, acho que eu não chegaria nem na proa do barco.

E analisando esse episódio da Bíblia, nós somos muito parecidos com Pedro, sabe. Acho que poderia ter o meu nome ali “Kelly, olhando para o vento, olhando pras dificuldades, duvidou.” Nós confiamos em Deus, confiamos no Seu grande poder, mas duvidamos que Ele pode fazer alguma coisa através de nós e da mesma forma que Pedro olhou para o mar revolto, nós olhamos para as nossas dificuldades e para as nossas limitações e duvidamos. Temos nossos sonhos, mas daí olhamos para a nossa realidade e duvidamos que aqueles sonhos vão realmente acontecer, olhamos para nós mesmos e é difícil confiar. Afundamos na nossa insegurança, no nosso desanimo. Talvez se Pedro tivesse continuado olhando para Jesus enquanto caminhava, eu acho que ele conseguiria dar a volta no Atlântico.

Então, confie em você sem deixar de olhar sempre pra Jesus!

xoxo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s