Cara gente branca, vocês precisam ver essa série

dearwhitepeople

Já faz algum tempo que saiu (mais especificamente em 28 de abril) na Netflix essa série incrível, mas ela não teve a repercussão que merecia, o que não quer dizer, é claro, que não vamos falar sobre. Trata-se de Dear White People, baseada no filme com o mesmo nome, uma série satírica e gira em torno de um grupo de alunos negros que se sentem reprimidos e desrespeitados em uma universidade onde a maioria são estudantes brancos. O diretor da série é o mesmo do filme e conseguiu ter mais tempo para discutir sobre o racismo e outras questões relacionadas de forma inteligente.

O que gerou essa inquietação nesse pequeno grupo foi uma festa blackface, onde os alunos brancos se caracterizam de pessoas negras de forma satírica, uma festa a fantasia mesmo. É válido lembrar que a série coloca também outras questões que são hábitos comuns dos brancos, o fato de que sempre arrumam um jeito de satirizar tudo que não é branco, seja asiático, latino, indígena, e ajudando, assim a alimentar esses esteriótipos.

Um dos motivos principais para ver essa série é o fato de que várias pessoas cancelaram a sua assinatura no serviço de streaming porque acharam a série ofensiva, por existir uma forma de “racismo reverso”. Se se ofenderam com o que ela mostra, Dear White People só pode ser incrível mesmo. Acontece que as pessoas  pedem representatividade o tempo todo, mas ignoram os conteúdos sobre isso, muito irônico, não? Acontece que racismo reverso não existe. Simples assim. Não adianta se vitimizar porque foi chamado a vida toda de “branquelo“, a piada pode até ter causado incômodo, mas ter pele branca nunca fez com que alguém fosse impedido de entrar em uma loja cara, por exemplo. Até porque ninguém nunca disse que vidas brancas não importavam, mas as negras também importam, pois apesar de sermos todos humanos ainda não somos tratados da mesma maneira. O peso das palavras diante do contexto histórico é incomparável. Cara gente branca, não existe piada de branquelo que faça com que você saiba o que os negros sentem no dia-a-dia.

Desde o início a série se propõe a discutir o racismo, dá voz a quem deve ter voz. Toda a produção é pensada e produzida por quem vive na pele o preconceito. Em um dos episódios, alguns amigos de um dos personagens principais pedem pra que ele não viva a todo instante em favor da militância, o que é impossível quando ela está estampada na sua pele o tempo todo. E ainda mostra como dentro da própria comunidade negra existe uma separação, com a ideia de que quanto mais escura for a pele de alguém, mais a sociedade o afasta dos privilégios sociais dos brancos, o que gera a discussão do colorismo. E há muitas outras questões que não foram tão aprofundadas, como a da solidão da mulher negra, e que a gente espera que seja discutida na segunda temporada (se tiver né… estamos torcendo pra que tenha).

Dear White People me fez repensar como vejo o mundo, dá pra começar a entender o porquê de existir cotas nas universidades, entender o que é o “privilégio branco” e, principalmente, as várias faces do racismo, onde não há apenas uma “piadinha”, mas sim um preconceito mascarado. Entrega a mensagem de leve, pelo menos início, porque a partir do quarto episódio, mais ou menos, a trama começa a ficar a tensa. Tem um humor, mas não aquele humor de besteirou, um humor mais afiado, cheio de sarcasmo, do tipo que faz rir com um pouco de culpa. Uma primeira temporada bem sólida e construída e que se enquadra perfeitamente na categoria de drama, com críticas importantes, ora escondidas, ora escancaradas.

“Nossa cor de pele não é uma arma, não precisam ter medo dela”

                                                  – Samantha White

xoxo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s