Não dá pra ser um cristão café com leite

Quando Jesus andou por essa terra, a galera olhava pra Ele e pensava “meu, que cara da hora”. Em vários momentos as pessoas chegavam pra Jesus e falavam “poxa, como que eu faço pra te seguir assim?”.

Em Mateus 16:24 Jesus deixou algumas coisas claras pra quem quer seguir Ele: 1) Negar a si mesmo, tomar a sua cruz e O seguir. Primeiro que Jesus fala “quem QUISER ser meu seguidor”, nada de sigo de volta, “tem que QUERER me seguir”. Então antes de tudo, seguir Jesus deve ser uma escolha, tem que querer espontaneamente, desejar naturalmente. Foi pra nossa liberdade que Cristo morreu, então você é livre pra decidir se quer seguir ou não a Ele.

E por quê é importante negar a si mesmo pra seguir Jesus? Se eu quero seguir a Cristo, se eu quero caminhar com Ele, quero ser cheio Dele, mas para ser cheio de Jesus é preciso se esvaziar de si mesmo, para aceitá-Lo você precisa negar a si mesmo. Não dá pra encher um recipiente que já está cheio. A gente se esvazia quando negamos a nós mesmos. Quando tem espaço, Jesus vem e enche, mas temos que nos negar por completo, temos que nos esvaziar por completo.

Mas digamos que você pensou: “acho que eu não preciso me esvaziar por completo, eu vou negar a mim mesmo só em algumas áreas”, e ai então Jesus veio mas tinha um pouco de você lá ainda e quando você se esvazia só em algumas áreas, você se torna um cristão café com leite. Sabe igual nas brincadeiras de infância que tinha aquela pessoa que não valia, que estava fingindo que brincava. E tem muito cristão café com leite hoje na igreja, que não está valendo, fingindo que está seguindo Jesus. Por que ele está fingindo? Porque ele misturou Jesus com ele mesmo e não sabe se é Jesus que segue ele, se é ele que segue Jesus.

Se a gente quer parecer com Jesus, a gente tem que se esvaziar por completo, não dá pra ser cheio de Jesus se você não tem espaço pra Ele na sua vida. “Por que eu tenho que abrir mão dos meus sonhos? Eu não entendo isso”, “quer dizer que eu não posso ter vontade?”. Não é deixar de sentir vontade, não é deixar de sonhar, mas é dar prioridade ao que Deus quer pra nossa vida.

Então quando a gente nega a nós mesmos, nós estamos nos esvaziando e sendo cheios de Deus, cheios do Espírito Santo; a vontade do Pai torna-se a nossa vontade, a vontade de amar o próximo, a vontade de fazer o bem sem olhar a quem. Pra seguir a Jesus precisamos negar a nós mesmo e depois tomar a nossa cruz, que significa sacrificio pessoal. A Palavra de Deus diz que no mundo nós teremos aflições, mas a maior aflição de Jesus foi carregar uma cruz que não era Dele, uma cruz que Ele não merecia, mas Jesus enfrentou Sua maior aflição por amor.

Se eu e você queremos parecer com Jesus, é também por amor que nós devemos carregar a nossa cruz, é por amor que nós devemos fazer nosso sacrificio pessoal. E Jesus encerrou Sua resposta dizendo: “agora siga-Me”, para segui-Lo você precisa entender que Jesus não é só uma decisão, Ele não é estilo de vida, Jesus é a própria vida. Ele não é uma religião, Jesus é o caminho, a verdade e a vida.

xoxo

Anúncios

Como se parecer com Jesus

As vezes a gente luta tanto pra se parecer com Jesus, sempre fazemos aquela pergunta “e no meu lugar, o que Jesus faria?”. E tentamos coisas absurdas, quando se parecer com Jesus nada mais é do que doar amor, amar o próximo. Eu estava vendo alguns vídeos e cheguei a algumas conclusões facinhas de como chegarmos o mais próximo de nos parecermos com Ele. Ai vai:

 -Para nos parecermos com Jesus nós devemos lutar contra aquilo que Ele lutava aqui na terra, e uma das coisas que Jesus mais combatia era o que? hm? isso meeeesmo: religiosidade. Então, se eu e você queremos nos parecer com Jesus, nós devemos combater a religiosidade. Começando a combatê-la dentro de nós, né. Porque não adianta sair por ai querendo combater a religiosidade do povo se você não combate primeiramente a que está dentro de você. Aquele lance de você se preocupar muito com o cisco no olho do seu irmão enquanto no seu tem uma floresta amazônica

Se você quer se parecer com Jesus lute para não se tornar uma pessoa religiosa, essas pessoas fazem tudo ao contrário do que Jesus faria, pessoas religiosas matam em nome daquilo que elas acreditam, enquanto os seguidores de Jesus querem se parecer com Ele morrem em nome daquilo que acreditam. As pessoas religiosas usam a religião pra conseguir bençãos, conseguir coisas de Deus, mas se eu e você buscarmos nos parecer com Jesus nós teremos o próprio Deus. O que é uma casa própria, um carro novo diante de ter a comunhão com Deus?

A religiosidade nos coloca uns contra os outros… arminiano contra calvinista, protestante contra católico. Até onde eu sei, o meu maior inimigo sou eu mesmo. A nossa luta não é contra carne nem contra sangue, ou seja, não é contra pessoas, a nossa luta é contra o mal, o mal desse século, o pecado que a gente vê por ai mas que a gente vê por aqui dentro de nós também, entendeu? A nossa luta é contra o pecado e muitas vezes o pecado que se instaurou em nós e é quando eu entendo que o seu pecado não é maior que o meu pecado, que eu reconheço que todos nós precisamos da Graça de Deus e é por isso que ao contrário da religião, Jesus une pessoas. Os nossos pecados não nos dividem entre pessoas boas e pessoas más. Na nossa jornada pra se parecer com Jesus a gente entende no caminho que todos nós somos pessoas más e que precisamos da Graça de Deus.

“(…) não temos nenhum credo senão Cristo, nenhuma lei senão o amor, nenhum livro senão a Bíblia.” –W.M.Branham

 -Outra coisa pra você que quer se parecer com Jesus, começa parando de falar que tudo de ruim que acontece é castigo de Deus. Cai um avião com uma banda de forró e morre todo mundo: “castigo de Deus, ué se tivesse cantando pra Deus não tinha caído”, garota de quinze anos é estuprada, estava voltando da balada: “castigo de Deus, isso não teria acontecido se estivesse voltando da igreja” e as inúmeras crianças que são estupradas sendo que as únicas festas que elas frequentam são as festinhas do colégio? Tragédias acontecem, para de dizer que é punição de Deus, a punição já aconteceu: Jesus foi punido naquela cruz no meu lugar, no seu lugar, no lugar da humanidade.

Se você quer se parecer com Jesus não abra a sua boca pra falar frases do tipo “isso que aconteceu com você é porque você não tá bem com Deus, sabe, quando não se tá bem com Deus coisas ruins acontecem”. PARA com isso. Se você abre a sua boca cheia de dente pra falar essas coisas com certeza você não se parece com Jesus. Se você quer se parecer com Ele, para de desejar o mal dos outros, para de desejar a morte dos pecadores. O que Jesus quer é justamente resgatar essas pessoas do sofrimento desse mundo.

 -Você fica chateado #revolts quando não se sente valorizado na sua igreja, se você quer se parecer com Jesus, não se importe por não ser valorizado, porque Jesus não era valorizado. Em Isaias 53 fala que Ele era rejeitado e desprezado pelos homens. Você tá muito chateado por que nunca ouve um obrigado? Não fica chateado, Jesus também não ouviu. Lá em Lucas 17 fala que Jesus curou dez leprosos e quantos vieram dizer “obrigado por ter me curado”? UM! E os outros nove? Hm? Se parecer com Jesus é fazer o certo sem esperar um obrigado, é não se amargurar e se deprimir porque você não se sente valorizado, porque Jesus não foi valorizado e mesmo assim Ele fazia o que era certo, mesmo assim Ele fazia o bem para as pessoas, mesmo assim Ele se importava com o próximo.

Anyway, eu não acho que parecer com Jesus seja algo fácil. Jesus é o cara! Mas me diz, o que você tem feito pra se parecer mais com Jesus?

xoxo

Por que duvidamos tanto de nós mesmos?

A desculpa é velha, mas é verdadeira: a faculdade consome o meu tempo, só que eu tô aqui e hoje quero trazer uma reflexão que há um tempo eu venho tendo comigo mesma e também trocando umas ideias com Deus…

Essa reflexão começa lá no livro de Mateus, no capítulo 14, a partir do versículo 22 que é aquele episódio em que Jesus aparece para os Seus discípulos no meio do mar, e então todo mundo se altera, começam a gritar e começam a achar que é um fantasma, e Jesus está lá bem tranquilo “sou só eu: Jesus” (só eu, o Filho de Deus hahaha). E Pedro, que a gente sabe que fazia as coisas meio que pelo impulso, lá no versículo 28, fala “Jesus, se é Tu mesmo, me chama pra ir ai, eu quero andar sobre as águas”, e Jesus, como a gente sabe diz pra ele ir e ele foi: desceu do barco, começou a andar sobre as águas até o encontro de Jesus. Mas dai, no versículo 30 fala que Pedro começou a reparar no vento, nas ondas fortes e começou a afundar e, Jesus, naquela calma que era só Dele, estendeu a mão, levantou Pedro e disse: “homem de pequena fé, por quê você duvidou?”

Então, ai vem a minha reflexão: do que foi que Pedro teve dúvida? quais foram as dúvidas de Pedro que fizeram ele afundar naquela hora? será que ele tava duvidando de Jesus? será que ele tava duvidando de que Jesus era realmente Jesus? Mas não, Pedro não estava duvidando de Jesus, até porque se ele tivesse 1% de dúvida ele nem mesmo teria saído do barco. E a Bíblia fala que ele começou a olhar em volta, começou a olhar os problemas que estavam ali, começou a olhar o vento forte, as ondas revoltas, o mar valente e olhando para tudo aquilo Pedro duvidou. E não foi de Jesus, foi de si mesmo.

Mas aqui pensando comigo mesma, com os meus botões, que Pedro em algum momento se ligou, olhou para Jesus e pensou: “mano, esse cara é o Filho de Deus. Ele anda sobre as águas, mas quem sou eu pra andar sobre as águas?” Ele duvidou de si mesmo. Mas é interessante pensar que depois de Jesus, Pedro foi o único a andar sobre as águas e Jesus ainda o chamou de “homem de pequena fé”… olha, acho que eu não chegaria nem na proa do barco.

E analisando esse episódio da Bíblia, nós somos muito parecidos com Pedro, sabe. Acho que poderia ter o meu nome ali “Kelly, olhando para o vento, olhando pras dificuldades, duvidou.” Nós confiamos em Deus, confiamos no Seu grande poder, mas duvidamos que Ele pode fazer alguma coisa através de nós e da mesma forma que Pedro olhou para o mar revolto, nós olhamos para as nossas dificuldades e para as nossas limitações e duvidamos. Temos nossos sonhos, mas daí olhamos para a nossa realidade e duvidamos que aqueles sonhos vão realmente acontecer, olhamos para nós mesmos e é difícil confiar. Afundamos na nossa insegurança, no nosso desanimo. Talvez se Pedro tivesse continuado olhando para Jesus enquanto caminhava, eu acho que ele conseguiria dar a volta no Atlântico.

Então, confie em você sem deixar de olhar sempre pra Jesus!

xoxo

Se for para falar da vida de alguém, que falemos sobre a vida de Jesus

Muitos tratam como o mal do século, outros tratam como falta de louça pra lavar, mas todos querem dizer a mesma coisa: fofoca. Com a expansão das redes sociais, esse problema tem se tornado evidente e tem nos distanciado da imagem e semelhança de Deus. Mas muitos acham que isso é natural do ser humano e que todos estamos sujeitos a fofocar, mas nós, enquanto achados por Cristo e transformados por Sua Palavra, devemos sempre estar vigiando para que isso não se torne algo comum. Como a Bíblia diz “não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento“.

No sentido literal da palavra, fofoca significa “dito maldito; dito mentiroso”, o que já transgride uma lei de Deus “não mentirás”. Paulo, na sua carta Aos Romanos, coloca os murmurados e detratores no mesmo nível daqueles que cometem homicídio e que Deus está derramando a sua ira sobre aqueles que rejeitam as Suas leis. Nos acostumamos tanto a repreender os ditos “pecados grandes”: não beber, não fumar, não matar; e acabamos esquecendo que pra Deus não existe pecado maior ou menor. E é incrível como há uma dedicação em saber sobre a vida alheia, muito se dispõe para falar sobre outras pessoas, fazer comentários, ao invés de gastar todo esse tempo para buscar mais de Deus, para buscar estar cada vez mais em santidade. E quanto mais tempo se gasta atualizando os últimos acontecimentos da igreja, mais o inimigo ganha terreno e vai, assim, destruindo aos poucos tudo aquilo que um dia o Senhor sonhou pra gente.

E muitas das vezes achamos que se aconteceu de verdade não tem nenhum problema em comentar sobre aquilo. Mas em algum momento você já viu um comentário, uma opinião mudar ou solucionar o problema? Com certeza não. Isso não ajuda em nada. Se tal pessoa fez alguma coisa ou caiu em pecado, nosso dever como filhos de Deus é orar por essa pessoa e conduzi-la de volta aos caminhos do Senhor. Mas não! Antes de orar a gente liga para o amigo pra comunicar né: “eita, tá sabendo?“. Antes da gente reunir um grupo de oração, nós reunimos o grupo do whatsapp pra atualizar as fofocas né. Temos que entender que somos chamados para pregar o Evangelho, falar sobre o amor de Jesus, não para falar da vida alheia. Se você dá ouvidos a uma fofoca, você está dando combustível para o inimigo. Quantas vezes vemos pessoas se desviando dos caminhos do Senhor porque um certo grupinho se reuniu para levantar falso testemunho delas. E a Bíblia é muito clara quando diz lá em Levítico 19:16 que não devemos andar como mexeriqueiro, não pondo contra o sangue do nosso próximo.

Fofoca e difamação são instrumentos do diabo, ele sabe muito bem que se conseguir nos dividir e fazer com que lutemos entre nós mesmos, estaremos muito ocupados para lutar contra ele. Então, como cristãos que as nossas palavras estejam de acordo com os pensamentos de Deus. Devemos pedir a Ele que nos dê sabedoria para sermos tardios ao falar. Que da nossa boca não saia nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação. E que, como diz o título, se formos falar da vida de alguém, que falemos sobre a vida de Jesus, sobre as Suas obras, sobre o Seu sacrifício e o Seu amor.

Então é isso pessoal, fiquem na paz de Deus!

xoxo

Você aproveitou ou desperdiçou?

Imagem de smile, child, and kids

Faalaaa pessoal, o ano está quase acabando e, tipo, como assim né? Sabe, que ao repensar sobre esse ano eu me perguntei: “mas Deus será que eu aproveitei todas as oportunidades que surgiram na minha frente ou será que eu deixei passar todas?” E uma coisa vocês tem que concordar comigo, o mais difícil é que as vezes pra gente agarrar uma oportunidade temos que deixar outra passar. E sabemos que elas coexistem com as escolhas e que temos que escolher qual vamos agarrar. Mas há pessoas que não se agarram a nenhuma oportunidade. Tem pessoas que só reclamam sobre não fazer nada e que se sentem inúteis por não ter algo a fazer, mas com certeza teve muitas oportunidades para mudar a vida e não fez nada diante delas. Talvez você tenha tido tantas chances de fazer algo valer a pena na sua vida que não se deu conta e deixou passar.

Por exemplo, você teve a oportunidade de guardar seu coração. A oportunidade de crescer espiritualmente ou de crescer profissionalmente. Oportunidade de enfrentar novos desafios ou de ser uma pessoa mais presente com a família. A chance de perdoar, de SE perdoar, é mais um ano que está acabando e talvez você ainda alimente aquele rancor de alguém que um dia te fez mal e você nem percebe que mais mal que aquela pessoa te fez é você que está se fazendo alimentando esse sentimento.

É muito comum quando nós olhamos para a história do filho pródigo, aquela história que está lá em Lucas, no capítulo 15, e pensamos “ah, vacilão, quem mandou? aprendesse com o seu irmão que ficou ajudando seu pai…” Mas pouca gente percebe que a história apresenta dois filhos pródigos. Se você olhar lá no dicionário o significado da palavra desperdiçador vai ver que entre eles vai aparecer ‘pródigo’. Aquele filho que pediu a herança e foi-se embora, ele com certeza desperdiçou muitas coisas, mas há muitas pessoas por aí que se encaixam no caso do filho mais velho que ficou em casa, que foi igualmente desperdiçador, porque ficou com o pai mas não aproveitou a oportunidade de se parecer mais com o pai, de ter um coração bom e perdoador.

E talvez você reclame quando vê alguém se dando melhor na vida que você, mas nem se dá conta de quantas oportunidades deixou passar. De ser melhor, de tornar a sua vida mais legal, a chance de chegar mais perto de Deus; de se doar mais e de pensar menos em você; de reclamar menos e fazer mais; de dar a volta por cima diante de uma grande decepção ao invés de ficar se martirizando todos os dias porque aquilo não deu certo.

O ano tá ó, por um triz, as oportunidades que passaram…passaram. Mas daqui a pouco vamos entrar num novo ano, e um ano repleto de oportunidades. Deus acredita em você e muitas pessoas à sua volta também, só não vai perder a oportunidade de valorizar toda essa credibilidade que as pessoas depositam em você.

Feliz Ano Novo! Feliz Año Nuevo! Happy New Year! Buon Anno!

xoxo

Você acredita na cruz de Cristo?

Hoje eu quero falar de um filme que estreou lá em setembro e eu não entendo até agora porque não fui ver no cinema… Mas enfim, o filme “Você Acredita?” é muito edificante. Sabe quando alguém dá um testemunho na igreja e você sente o seu coração aquecer? Então, foi isso que eu senti vendo esse filme.

Dos mesmos criadores de Deus Não Está Morto, esse filme busca mostrar o poder restaurador do sacrifício de Cristo na Cruz e a importância de compartilhar essa mensagem de salvação. E mais do que uma pergunta vazia e uma resposta monossilábica, expõe tudo o que acreditar na cruz significa. Até mesmo quem pensa estar mais apto para responder se vê num momento de estremecimento diante da pergunta: “Você acredita na cruz de Cristo?” E ensina não apenas o valor de acreditar, mas a sermos menos egoístas e mais humanos.

Quem arriscaria a sua própria vida para salvar a vida de alguém que acabou de lhe prejudicar?“, essa é uma das falas do filme e nós temos o maior exemplo disso: Jesus. Ele morreu para salvar o mundo que o mandou para a cruz. E nós, enquanto seguidores Dele, deveríamos fazer o mesmo, mas…

Toda a história é construída na ideia de que todos nós temos motivos para não acreditar e até culpar a Deus por nossos problemas, mas mostra a grande recompensa de acreditar Nele e nos Seus planos para a nossa vida. Dá vontade de aplaudir o filme inteiro rs. Como eu disse no começo, nada como um relato para avivar a fé, para nos trazer mais perto da cruz de Cristo.

Em Você Acredita? a gente vê os questionamentos vindo a todo momento. Sabemos o que é certo a se fazer e por que não fazemos? Não se trata apenas de professar, mas de viver a fé em Jesus plenamente. E nesse filme, vai entender que acreditar não está em dizer “sim, eu acredito“, mas em demonstrar.

Em sua carta aos Gálatas, o apóstolo Paulo escreveu no capítulo 06: “Mas longe de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo.”

Não tenha vergonha de professar o seu amor à Cruz de Cristo nem de demonstrar isso. Em todos os momentos a nossa fé é testada e o que as nossas ações têm respondido? Mostre ao mundo que o sacrifício de Jesus é o poder de redenção.

Olhe esse trailer, minha gente!

Fiquem na paz.

xoxo

Você tem sido influenciador ou influenciado?!

Por aí afora temos influência de cantores cristãos, pastores cristãos, escritores cristãos, e isso é muito legal, mas está faltando um pouco de atitude de jovens cristãos. Por mais que nos identificamos com certos autores, ou gostamos de alguns cantores, nós, os jovens, costumamos muito olhar para outros jovens. E por causa disso, recebemos muita influência na faculdade, no trabalho, no colégio, nas redes sociais, de moças e rapazes que não tem muito o que agregar na nossa vida cristã, mas isso acontece justamente porque está faltando jovens cristãos influenciadores por aí e se está faltando esse tipo de jovem eu quero dizer que você precisa se mobilizar. Não estou dizendo que você deve criar uma grande campanha de evangelismo nas escolas, mas sendo apenas um influenciador, tendo a sua vida como testemunho.

Não há nada de errado em termos amigos que não compartilhem da nossa fé, mas se no nosso círculo de amizades nós somos mais influenciados por eles do que influenciadores a eles, alguma coisa está saindo um pouquinho errada. E na fase da adolescência isso se torna muito mais difícil, porque queremos nos enturmar, parecer legal, parcer alguém interessante, queremos ter amigos e muitas vezes no meio desses amigos nós guardamos a nossa fé no bolso. “Na igreja eu sou cristão, na igreja eu faço a diferença”, mas no meio dos amigos que não são cristãos nós nos omitimos.

A questão é que se nós não influenciamos, nós seremos influenciados. Não existe meio termo.

Lá no livro de Mateus, no capítulo 5, fala que nós somos sal da terra e luz do mundo, e isso não quer dizer apenas que temos que ser diferentes, mais que isso, quer dizer que eu e você devemos ser influenciadores. A luz e o sal eles influenciam.

Então não tenha dúvida de que se eu e você fomos chamados para ser sal e luz dessa terra, também fomos chamados para influenciar nessa terra.

•••

Isso é tudo pessoal rs. Eu sei que é um post um pouco diferente do que eu estou acostumada a fazer, mas eu senti de compartilhar isso com alguém.

xoxo