Músicas do Imagine Dragons que eu não canso de ouvir

Meu relacionamento com essa banda incrível começou quando eu vi o trailer do filme As Vantangens de Ser Invisível e tocou It’s Time, foi amor à primeira ouvida. Aí depois veio Radioactive, Demons, Amsterdam e por ai foi…

Não sei que tipo de feitiço esses caras usam, mas sei que funcina, muito difícil ficar mais de dois dias sem ouvir alguma coisa deles.

Radioactive:

I’m waking up / I feel it in my bones / Enough to make my system blow / Welcome to the new age, to the new age / Welcome to the new age, to the new age

Demons (esse é um dos meus vídeos preferidos):

Your eyes, they shine so bright / I want to save that light / I can’t escape this now / Unless you show me how

Amsterdam:

Your time will come / if you wait for it, if you wait for it / It’s hard, believe me, I’ve tried / But I keep coming up short

Bleeding Out:

I’m bleeding out / So if the last thing that I do / Is bring you down / I’ll bleed out for you

On Top Of The World:

I could’ve gave up then, but / Then again I couldn’t have ‘cause / I’ve traveled all this way for something

It’s Time:

I don’t ever want to let down / I don’t ever want to leave this town / ‘Cause after all / This city never sleeps at night

That’s it

xoxo

Anúncios

Meu ano em músicas

Se tem uma coisa que eu gosto nessa vida é fazer listas, desde as de supermercado até as wishlist. E antes de ver Gilmore Girls eu me achava estranha por gostar desse tipo de coisa, mas dai ver a Lorelai e a Rory fazendo listas pelos cotovelos, me fez aceitar que eu não sou tão estranha assim haha.

Então, pra fechar o ano, esse ano conturbado, cheio de curvas na pista, eu resolvi fazer uma lista com as músicas que eu mais ouvi esse ano. Vai ter muita música calminha, até porque esse ano pediu, né.

1) Novembro, Daniela Araújo:

2) Ana e o mar, O Teatro Mágico:

3) Ninguém explica Deus, Preto no branco:

4) Romântico anônimo, Renato Vianna:

5) Amei te ver, Tiago Iorc:

6) Meu primeiro amor, Priscilla Alcantara:

7) Abril, Daniela Araújo:

8) Alexandria, Tiago Iorc:

9) Quando fui chuva, Maria Gadú:

10) Amsterdam, Imagine Dragons:

11) Guia-me, Isadora Pompeo:

12) Trem bala, Ana Vilela:

Como se pode ver eu sou uma pessoa bem eclética e bem nacionalista (risos)

E eu vou deixar um poeminha da Marcela Taís, que é o que mais descreve as minhas resoluções pro próximo ano:

Não espere visita para as taças usar

Não espere bençãos para agradecer

Não espere ser rico para ser feliz

Não espere perder para dar valor

Não espere a música para dançar

Não espere elogios para acertar

Não espere as flores para sorrir

Não espere ser servido para servir

Não espere errar para ser aprendiz

Não espere justiça para perdoar

xoxo

Trilha sonora de Como Eu Era Antes de Você

Eu acabei de sair da sala de cinema e ainda não estou conseguindo respirar. Poucas vezes filmes de romance me tocam de verdade, e não é porque eu não sou sensível… na verdade, eu sou até demais. Mas só que mais do que uma história de amor, Como Eu Era Antes de Você mostra pra gente que se tem uma coisa nessa vida que é inevitável é o fim. Tudo algum dia termina. Pessoas vem e vão e nem um fim, ou uma despedida, deve vir antes de você. Algumas pessoas são destinadas à nossa vida apenas para nos lembrar que o que te faz seguir em frente são as grandes lições que tiramos de cada encontro.

Mas eu quero falar sobre a trilha sonora do filme, que, mesmo que o filme se garanta por si só, fez o papel de me emocionar de um jeito, que “ceis” nem faz ideia. Pra quem prestou atenção no filme deve ter percebido que o queridinho Ed Sheeran teve duas músicas (e não vou negar: cantei as duas sem errar a letra haha) e o grupo mais incrível do mundo, Imagine Dragons, fez uma música exclusiva pro filme (que eu já adotei pra minha vida). Além deles, The 1975, ClovesX Ambassadors colocam MAIS emoção no longa. Vou colocar algumas aqui me deixaram comovida rs.

Começaremos, com Ed Sheeran, que se tivessem colocado o cd todo dele eu não acharia ruim: Photograph é uma das músicas mais lindas dele e logo em seguida vem Thinking Out Loud, que também está na trilha sonora do filme:

Então temos X Ambassadors com a música Unsteady, que é uma banda de rock alternativo estadunidense, e na hora que essa música começou eu já sabia que queria ela na minha vida:

Cloves ganhou meu coração no momento em que me fez chorar haha eu tinha conseguido segurar as lágrimas até então, mas Don’t Forget About Me mexeu muito comigo:

E por último, porque se não vai ficar muita música, a minha banda preferida: Imagine Dragons, com Not Today, que cai como uma luva pro filme, com uma letra impecável:

A trilha sonora foi composta por Craig Armstrong, e ele já levou o Globo de Ouro de Melhor Trilha Sonora em Moulin Rouge! É mole…

Mas não existe nada melhor do que ir no cinema ver e sentir as músicas: this is the best feeling!

“Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível.”

xoxo

Anavitória, um som assim: tão singular

Sabe aquela coisa de amor à primeira ouvida? Que você nem precisa saber muito de música pra saber que é boa? Então, quando me disseram “Kelly, escuta essa música que é bem a sua cara”, e quando meus ouvidos escutaram pela primeira vez o duo Anavitória foi tiro certeiro no coração, arrepiando a alma. E quando me dei conta, já tinha baixado todas as músicas.

A dupla é composta por Ana Caetano e Vitória Falcão, lá de Tocantins, e o som delas é um doce pop rural. Até lembra um pouco a Maria Gadú, mas levemente, porque não tem como comparar, o duo de vozes é único. As meninas fazem uns covers sensacionais, entre eles Coisa Linda (♥) e Um Dia Após o Outro, ambas do amado Tiago Iorc só que o mais legal é que elas também tem composições próprias. A Ana é a compositora da dupla, e entre as músicas tem a (já) famosinha Singular e Chamego Meu (que é a minha preferida).



Sabe quando você ama a voz de alguém e também ama o sorriso dessa pessoa e dai ela fala sorrindo? É a mesma coisa que ouvir essas duas, que além de terem vozes lindas que se mesclam muito bem, cantam sorrindo, o que, automaticamente, nos faz sorrir também. A gente nem precisa estar vendo elas cantando, só de ouvir já dá pra sentir o sorriso delas. É incrível *-*

E se quiser ouvir as outras músicas delas, é só clicar aqui e aqui também.

E claro, que eu não posso deixar de agradecer ao Lucas, por ter me apresentado à elas. Obrigada baby ♥

xoxo

Mais do que um caçador de vagalumes, parte 2

Enquanto eu escrevo este post, estou ouvindo o novo álbum do nosso amado Ivo Mozart pela 217396845º vez haha. Já falei dele aqui e do quanto eu amo ouvir o que ele canta, por isso na última sexta, depois de dois longos anos, ele lançou um cd lindíssimo com canções inéditas e eu, a loka viciada, já dei um jeito de ouvir antes de chegar nas lojas físicas, e só tenho uma coisa a declarar: Estou Apaixonada!

 

O nome do álbum é 29, isso mesmo, dois algarismos. E se lhe interessa, é a idade do cantor e compositor. E como no primeiro, mostra toda a sua personalidade cativante. As onze faixas são todas assinadas pelo paulista, sendo algumas em parceria. E elas trazem mensagens positivas e romance *-*

 

E eu como boa fã não sei dizer se tecnicamente é bom, o que eu sei é que traz uma paz pro coração que nem tem como descrever, e como ele sempre diz que tudo que é feito com a alma e com o coração, o resultado é surpreendente, não tenho dúvidas de que esse tem, mais uma vez, esse resultado.

Então se eu fosse você, eu dava um jeito de procurar, o cd está disponível em várias plataformas digitais:

Spotify// iTunes// Deezer// Napster// Google Play// Rdio

E só pra ter uma palhinha, essa aqui é a primeira faixa do cd, sente a vibe rs:

Corre gente, aproveita que tem o feriado pra viciar haha.

xoxo

Algumas lições que o pop country me ensinou

Esses dias eu estava ouvindo as músicas mais antigas da Taylor Swift e me deu uma vontade de anunciar ao mundo o meu amor pela musica country. Embora, ela não faça mais músicas nesse estilo, as antigas dela ainda fazem parte da minha vida e não só as dela, mas tem outros cantores de pop country que me inspiram. E é por isso que no post de hoje eu vou falar sobre as lições que este estilo musical me ensinou.

Cuide da sua vida

A gente vive numa era em que tudo é exposto demais, e junto com isso vem o julgamento livre. E mesmo que a gente não dê liberdade nenhuma pra ninguém falar da nossa vida, as pessoas se sentem no direito de falar sobre tudo.

Kacey Musgraves nos diz em Biscuits que “colocar sal no meu açúcar não vai fazer o seu mais doce…eu não gostaria de saber sobre as pedras nos seus sapatos. Então, eu vou cuidar da minha vida e, querido, você pode cuidar da sua.”

Seja quem você quiser

As pessoas sempre vão falar. Se você é gordo, se você é magro, se é tímido, se ganha, se perde… nunca vai estar bom. A melhor coisa a fazer é respirar fundo e simplesmente ignorar esse tipo de gente.

Em Follow Your Arrow, Kacey nos aconselha a “dizer o que pensamos, amar quem amamos, porque nós só temos um monte de voltas ao redor do sol, e sim, nós só vivemos uma vez.”

Saia da sua zona de conforto

Sair da nossa zona de conforto nos permite realizar coisas incríveis, existe um mundo de possibilidades para além do que você está acostumado. Para cada ação fora dessa zona, uma nova surge.

E em Silver Lining, Kacey nos diz que “se você quer encontrar uma fresta de esperança, tem que sair em um dia nublado. Se você quer encher a sua garrafa com um raio, você tem que ficar na chuva… a sorte não é o que você precisa.”

Viva como se estivesse morrendo

Essa pode até ser adolescente, mas vale. É aquele negócio de ‘você só vive uma vez’. Então, não adianta pensar demais, o que é errado pra alguém pode ser o certo pra você.. Seja vivendo o seu sonho, pulando de paraquedas ou só amando profundamente.

Tim McGraw compartilha com a gente em Live Like You Were Dying um conselho que foi dado a ele: “eu amei mais, eu falei mais doce, e dei o perdão a quem eu condenava…um dia eu espero que você tenha a chance de viver como se fosse morrer.”

A vida nos ensina a ser fortes

Todo mundo sabe que não fácil viver, e que durante o caminho a gente leva um monte de pancadas da vida e por isso ela nos ensina a ser forte. A nossa fé e a nossa dedicação são postas à prova todos os dias para o mundo ver e se somos um pouquinho fraco as vezes isso já se vira contra nós.

Kelsea Ballerino nos ensina em Stilettos que se deve “continuar caminhando com a cabeça erguida, dando um show; ir em frente como se nada estivesse errado…porque não há espaço para a fraqueza em um mundo áspero, que continua dizendo que você nunca foi suficiente”

Mantenha a sua fé

Mesmo que a sua fé esteja abalada você tem que continuar. Se você perde alguma oportunidade, tem que lembrar de haverão outras e, às vezes, você tem que perder mesmo, mas isso não pode ser o fim da sua caminhada.

E a Miley Cyrus, antes dela ficar maluquinha haha, ela nos ensinou isso em The Climb“cada movimento que eu faço parece perdido, sem direção, minha fé está abalada, mas eu tenho que continuar tentando…sempre haverá outra montanha…sempre será uma batalha difícil…”

Nunca perca a sua essência

Mas mesmo você sendo quem você quiser ser, explorando novos horizontes, nunca esqueça de quem realmente importa nem das pessoas que você já foi. Você pode até não ter os mesmos amigos, mas todos que já fizeram parte da sua roda ajudou a construir a pessoa que você é hoje. E ainda que a sua família seja estranha, meio louca, nunca se esqueça de que amigos são importantes, mas família é família.

E pra fechar, duas músicas. Em Long Live, a Taylor faz um apelo a esses amigos que fizeram parte da sua história, eu aqui faço para os da minha também: “me prometa que você vai ficar do meu lado sempre, mas se o destino interferir e nos forçar uma despedida, se você tiver filhos algum dia, quando eles apontarem para as fotos, por favor, diga a eles o meu nome.

E a Kacey, mais uma vez nos diz que “amigos são úteis, mas família é família…você pode falar deles, mas se outra pessoa o faz, bem, você acaba com ela, porque no fim das contas, eles são os únicos que você tem.”

É claro que existem mais uma montanha de músicas assim, inspiradoras, mas ai ficaria chato haha e isso que eu me controlei. Mas isso é tudo pessoal.

xoxo

Meu primeiro festival de música

Sábado, quando meu pai disse que a gente ia descer pra Morretes eu nem imaginava que tava rolando um jazz festival, mas quando chegamos lá e vimos a pequena cidade fundada por jesuítas em 1733, abarrotada de turistas, não dava pra negar que tinha algo mais que o famosíssimo Barreado, que é o nosso prato típico.

Este ano foi a primeira vez do Nhundiaquara Jazz Festival, teve dezesseis atrações distribuídas nos palcos montados no setor histórico da cidade. Às margens do rio Nhundiaquara (ham? ham? haha) a boa música dominava o ar da nossa queridinha Morretes, com shows gratuitos e artistas da cena jazzística brasileira e da nova geração de música paranaense.

Momento confissão: eu não fazia, e ainda não faço, a mínima ideia dos artistas que passaram pelo palco enquanto eu lagarteei no solzinho na beira do rio, mas não tenho do que reclamar. Até porque jazz é um estilo bem democrático. Só espero que este tenho sido o primeiro de muitos, porque, gente, eu amei, de verdade. E o primeiro festival de música a gente nunca esquece, mesmo que não tenha sido um Lollapalooza ou um Woodstock haha o que vale é que música é sempre música.

E mesmo se não tiver nenhum festival eu recomendo este lugarzinho que fica bem no meio da Mata Atlântica, de fora você nem imagina o que tem lá dentro.

xoxo